Fechando a noite – Parte 1: Fantasmic!

Não tem uma vez que eu vá aos parques da Disney, na Flórida, e que não me perguntem qual é o show de fogos que eu mais gosto. Essa pergunta é uma das poucas certezas que eu tenho, sempre vou ouvir!

É complicado escolher um show só. Dos quatro parques de Walt Disney World, três oferecem shows de encerramento. Cada um tem seu enredo, sua forma de apresentação e seu algo a mais.  O único que não tem nada do tipo é o Disney’s Animal Kingdom, por causa dos bichos e por fechar bem mais cedo que os outros.

Se eu tiver que definir, eu diria que o Fantasmic! é mais diferente; o IllumiNations, o mais bonito; e o Wishes, o mais especial.

Enfim, cada show tem sua importância e merece seu lugaar de destaque nos parques e aqui no blog.

Eu vou começar com o Fantasmic! (essa exclamação faz parte do nome), que é apresentado no Disney’s Hollywood Studios (DHS). Ele, na verdade, também tem versões apresentadas na Disneyland (Califórnia) e em Tokyo DisneySea (Japão), mas só conheço a da Flórida, então é dela que falarei.

Foto: Fernando Andrade

Bem ao lado da entrada para o Fantasmic!, a Torre do Terror serve de referência para os visitantes que procuram o anfiteatro.

O show é apresentado em um anfiteatro, bem ao lado da Torre do Terror, na Sunset Boulevard. Não é difícil de achar, basta procurar por esse “pequeno” prédio da foto de cima.

Ao contrário dos shows de Magic Kingdom e Epcot, que, basicamente, são shows pirotécnicos, o Fanstasmic! traz muito mais que fogos de artifícios. O espetáculo exibido em DHS apresenta projeções em cortinas de água, personagens da Disney, atores, barcos E pirotecnia. Esse mistura é a razão pela qual ele se torna tão diferente.

Foto: Fernando Andrade

O camundongo mais famoso do mundo é a estrela do Fantasmic!

Como eu já falei, o Fantasmic! acontece em um anfiteatro, então as sessões têm um número limitado de espectadores. Se você não chegar cedo, corre o risco de não conseguir assistir, principalmente depois que implementaram o sistema atual de FastPass. Hoje, eles separam um espaço enorme para quem reserva o FastPass+, deixando só as laterais para os que não utilizam o serviço.

A classe do FastPass+ do Fantasmic! é a mesma de outras atrações populares do parque: Toy Story Midway Mania e Rock ‘n’ Roller Coaster (montanha-russa do Aerosmith). Isso é uma coisa que precisa ser bem pensada.

Minha sugestão, se você entrar no parque na hora em que ele abrir. é ir direto ao Toy Story Midway Mania, já que, mesmo fora da alta temporada, a fila passa de duas horas de espera, ao longo do dia. Já a “Coaster”, apesar das longas filas, conta com a opção para “single riders”, para quem não faz questão de ir junto com a família e os amigos, bem mais rápida que a fila normal. Fazendo isso, você pode reservar o FP+ do Fantasmic!, garantindo um lugar melhor. Ainda assim, não dá para chegar em cima da hora da apresentação, mas não precisa ser tão mais cedo assim.

Foto: Fernando Andrade

A bruxa Malévola, em forma de dragão, é uma das grandes ameaças a Mickey e os defensores do bem.

O show te leva pela imaginação do Mickey Aprendiz de Feiticeiro, do filme Fantasia, com a eterna luta do bem contra o mal. Na verdade, seria um confronte entre Mickey e Malévola, a feiticeira da “Bela Adormecida”, com reforços dos dois lados.

Foto: Fernando Andrade

Governador Ratcliff e seus comparsas, saem do filme “Pocahontas” para reforçar o time dos vilões.

Durante aproximadamente meia hora, água, luzes, projeções e fogo contracenam com heróis e vilões.

Para tentarem derrotar Mickey e sua turma do bem, Malévola e companhia usam todos os artifícios possíveis: de magia à canhões. Vale até mesmo entrar na mente do principal personagem criado por Walt Disney e explorar seu medo de cobras.

Foto: Fernando Andrade

No final, pilotando seu barco a vapor, o “Steamboat Willie”, Mickey Mouse traz os heróis para que possam saudar o público.

Não vou contar toda a história, já que você tem que assistir, mas fique tranquilo que o bem sempre vence! Acho que não estraguei a surpresa, né?

Foto: Fernando Andrade

A bordo do “Steamboat Willie”, heróis de diversos filmes da Disney celebram a vitória do bem.

Resumindo, a conta é bem simples:
Fogos de artifício + projeções em cortinas d’água + luzes + explosões + personagens da Disney + magia = show imperdível!

Dicas de foto? Vamos lá!
1 – Muito zoom ótico/tele! Essa é a principal dica que posso te dar. As coisas acontecem a uma distância considerável de você, então, vai precisar de algo que te deixe mais “perto”. 

2 – Outra dica, já que falei de distância. Cuidado para não ficar nas fileiras de baixo. Além de aquela sensação de “olhando pro alto”, que a gente procura evitar quando vai ao cinema, você corre o risco de molhar seu equipamento, por causa das cortinas d’água.

3 – Eu, normalmente, sou um grande incentivador de que mexam em abertura, velocidade, sensibilidade, etc., mas o show usa muita luz diferente em um curto espaço de tempo. Então, numa boa, não tente mexer na configuração da sua câmera, se não souber muito bem o que fazer. Deixa em automático, “senta o dedo” no disparador e seja feliz.

Ah! Rolou um Photoshop para apagar algumas coisinhas e ajudar a “preserve the magic” (preservar a magia), que é algo que ouvimos muito, quando vamos trabalhar na Disney. Não vou falar o que é, mas, se alguém descobrir, pode contar nos comentários.