Alta Temporada de Orlando – Epcot

Foto: Fernando Andrade

Bom, o tempo anda muito corrido, tanto que acabei ficando algumas semanas sem postar, mas vou tentar colocar as coisas em ordem. Não reclamo, pois trabalho significa dinheiro. E dinheiro, por sua vez, na minha mão, costuma significar mais viagens.

De qualquer forma, mais uma vez, meu pedido de desculpas aos meus leitores frequentes: minha mãe, minha irmã, “robôs que postam comentários de spam”, pôneis malditos e quem mais perder tempo lendo isso.

Tirar foto com "a bola" é quase obrigatório, mas pode ser feito depois de curtir as atrações mais concorridas.

Tirar foto com “a bola” é quase obrigatório, mas pode ser feito depois de curtir as atrações mais concorridas.

Segunda-feira, falei a minha sugestão de parqueamento para o Magic Kingdom, então, hoje, falarei como eu sugiro que você visite o Epcot.

Mais uma vez, minha sugestão para todos os parques é que você entre assim que eles forem abertos, dessa forma minha sugestão de roteiro faz sentido. Se você optar por chegar algumas horas depois, o parqueamento que eu estou passando perde completamente o sentido.

Outra observação, como também fiz no post passado, é que isso aqui é uma sugestão para os mais despreparados e desavisados, que chegam lá sem FastPass+ nenhum reservado. Se você reservar o seu FP+, como deveria, você vai trabalhar essa ordem de acordo com os horários e localizações das atrações agendadas.

Foto: Fernando Andrade

Ao fundo, o pavilhão The Land é a casa do Soarin’, a atração mais popular de Epcot.

Eu acho que deve ser quase irresistível, para os visitantes de primeira viagem, entrar no Epcot e seguir direto para “a bola”, ou a Spaceship Earth (Espaçonave Terra). Eu sei que é o ícone do parque, também sei que é o primeiro brinquedo que você vê ao entrar, mas passe por ele. Muitos outros desavisados entrarão e seguirão direto para lá.

No lugar de fazer isso, vá rápido para a atração que mais enche, aquela em que as filas podem passar de três horas (quase todo parque tem uma atração assim). No caso do Epcot, essa atração é o Soarin, que fica no The Land. “Mas onde fica The Land?” Quando entrar no parque, pegue um mapa, porra! Mas, como você tem que ser rápido, vou falar só uma vez. Passe direto pela “bola” e, quando chegar ao chafariz, vire à direita.

Depois de fazer o Soarin, se tiver curtido e a fila estiver “pequena” (até uns 40 minutos), faça novamente, se quiser repetir. Provavelmente, pode ser a sua última chance.

 

Depois do Soarin, minha sugestão é que você vá para o Nemo, que é logo ali do lado. O nome mesmo é The Seas with Nemo and Friends, mas vão entender se você pergunta por Nemo, ou “Nimo”, na verdade.

Foto: Fernando Andrade

Se tiver dúvida de onde fica a atração do Nemo, basta seguir as gaivotas: “mine, mine, mine, mine…”

Depois, te aconselho a passar novamente pelo chafariz e ir para o outro lado, para o Test Track. Alguns outros, na verdade, podem até te sugerir fazer isso logo depois do Soarin, por ser uma outra atração que enche muito, mas eu ainda prefiro resolver logo as coisas de cada área. Fora que, se você não fizer questão de andar junto com a sua família e seus amigos, ainda existe a opção de “single rider”, em que você completa os carrinhos de estranhos, mas a fila pode ser muito mais rápida.

Saindo do Test Track, siga para o Mission: Space, o simulador de lançamento espacial. Lembrando: verde para os mais fracos, não tenha vergonha!

Foto: Fernando Andrade

Como não poderia deixar de ser, temas espaciais decoram a fila de espera do Mission: Space.

Depois que você acabar essas atrações, aí você segue para a Spaceship Earth. Ela vai estar com mais fila que na hora em que o parque abriu, mas você economizou tempo nas que enchem mais.

Foto: Fernando Andrade

Na saída do Spaceship Earth, não esqueça de conferir como vai ser o seu futuro!

Depois daí, eu acho que você já pode passear pelos pavilhões do World Showcase. Gosto de começar pelo lado do México, para ir ao Rio del Tiempo, passeio de barco com o Pato Donald, Panchito e Zé Carioca, mas não é uma atração muito popular. Então, se você começar pelo Canadá, provavelmente, não fará muita diferença.

O "caballero" Donald pode ser encontrado ao lado do pavilhão do México.

O “caballero” Donald pode ser encontrado ao lado do pavilhão do México.

Se você estiver com crianças, talvez seja legal visitar o Journey Into Imagination. A atração é muito tradicional e já foi uma das mais populares.

Outra que é bem tradicional, mas é mais interessante para os adultos é fazer o passeio de barco pelas formas alternativas de cultivo no pavilhão The Land. Eu costumo fazer, mas não é a coisa mais excitante do mundo, mas é interessante para alguns.

Para tirar foto com Mickey, Minnie, Pluto e Pateta, a entrada do “Character Spot” fica quase na frente do chafariz que você usou de referência para cruzar o parque, alternando as principais atrações.

No Character Spot, personagens clássicos da Disney te esperam para tirar fotos.

No Character Spot, personagens clássicos da Disney te esperam para tirar fotos.

Enquanto anda pelos pavilhões, você encontra diversos personagens para tirar fotos. Normalmente, são “princesas” (aspas por incluírem Mary Poppins, Alice, etc.). Outra coisa dos pavilhões é que eles costumam ter shows e exibições, como acrobatas, na China; arte japonesa (incluindo mangá, para quem curte), no Japão; e projeções, no Canadá e na China, para citar só algumas coisas (se quiser mais, pegue um mapa).

Foto: Fernando Andrade

Um dos mais bonitos pavilhões de Epcot, o chinês tem uma sala de projeção que conta um pouco da história e da cultura da China, além de contar com uma exposição permanente, com réplicas dos soldados de Terracota e outros artefatos.

De resto, é andar pelos pavilhões, apreciar a beleza dos prédios, comer as muitas coisas gostosas de cada país e esperar o IllumiNations.

Foto: Fernando Andrade

IllumiNations: Reflections of Earth, acontece no lago rodeado pelos pavilhões de Epcot.