Engordando em Miami: Shorty’s Bar-B-Q

Fala, galera! Tudo certo?

Nos próximos dois meses, eu estarei aqui em Miami, então vou tentar falar sobre vários assuntos, desde os lugares mais turísticos aos menos famosos entre os brasileiros.

Sei que, muitas vezes, não vou ter como evitar aquele shopping que todos já conhecem, ou a loja mais famosa, mas, sempre que possível, quero trazer algo novo para quem visita o blog.

E, para começar, vou falar de algo que eu e a Aline, a patroa, gostamos muito: comida!
No meu primeiro domingo em Miami, fomos ao Shorty’s Bar-B-Q. E esse é o tipo de lugar que é bem “local”. Não é o restaurante que você vai com um guia ou um grupo de excursão. Para falar a verdade, eu só fui porque a Aline é “local”.

Foto: Fernando Andrade

Localizado na US 1, o restaurante Shorty’s é uma ótima opção para quem quer comer um autêntico churrasco texano, mesmo estando em Miami.

Eu até achei que não encontraríamos brasileiros por lá, mas descobri que é quase impossível não encontrar brasileiros em Miami. Vimos duas família, mas, aparentemente, eles moram por aqui. Uma, inclusive, estava acompanhando o filho e os colegas de time, todos uniformizados, após uma partida de futebol.

O Shorty’s, atualmente, tem cinco unidades, mas nós fomos na original, a de South Miami, localizada na South Dixie Hwy, número 9200 (ou 9200 South Dixie Hwy, no padrão americano, para colocar no GPS).

Essa estrada, aliás, também é conhecida como US 1, que vai de Key West, aqui na Flórida e ponto mais ao sul dos EUA, até a fronteira com o Canadá, no estado do Maine. Ao longo do percurso, a US 1, ou U.S. Route 1, vai ganhando outros nomes, mas você pode atravessar o país de norte a sul, pela costa Leste, sem ter que sair dela. Desculpem “o desvio” para falar da estrada, mas eu adoro contar curiosidades.

Ainda sobre a localização, caso não esteja de carro, pode ir de metrô, como nós fizemos, e descer na estação Dadeland South.

Voltando a falar do restaurante, provavelmente, você não vai conseguir sentar em uma mesa só com o seu grupo ou a sua família. O salão é basicamente formado por grandes mesas de madeiras, que são compartilhadas por todos os clientes.

Foto: Fernando Andrade

Entrada mais pedida do restaurante, o milho cozido não é tão salgado quanto o brasileiro.

Sobre a comida, é muito comum que os frequentadores comecem os serviços com um milho cozido (corn on the cob). Eu não pedi, pois preferi guardar espaço para o que me interessava mais, mas provei o da Aline. É bem macio, mas é um pouco diferente do que estamos acostumados. No Brasil, nós cozinhamos com muito mais sal, você sente aquela água salgada. Aqui, você sente bem o gosto do milho mesmo. Não vou entrar no mérito de qual é mais saudável, apesar de parecer óbvio, mas prefiro o nosso.

De prato principal, pedi um combo de “spare ribs” com “baby back ribs”. Sim, um combo de costela com mais costela. Junto com a comida, eles trazem o molho barbecue da casa, apesar de você já encontrar na mesa catchup e barbecue tradicional. Todos os pratos são servidos com batata frita, pão de alho e cole slaw (tradicional salada de repolho). A comida estava muito gostosa, apesar de eu ter achado as “Spare Ribs” não tão macias quanto poderiam ser, mas estavam bem gostosas. As “Baby Back Ribs” saiam do osso sem dificuldade nenhuma e também estavam muito boas!

Foto: Fernando Andrade

Além da costela de porco, na foto acima, o frango assado e o peito bovino também são preparados em churrasqueira com fogo aberto e seguindo o estilo do Texas.

Tudo é preparado em churrasqueira, no fogo mesmo, seguindo o estilo do churrasco texano. Se você vier para cá pensando em uma costelo no estilo Outback, que apesar da fama de australiano é um restaurante da Flórida, vai encontrar algo bem diferente. Se é melhor ou pior, é uma questão de gosto, mas os dois são bem diferentes.

Ah! Além das costelas, fazem sucesso o frango assado e o brisket, o peito bovino, também no estilo texano, obviamente.

Eu dei mole de não ter tirado foto do cardápio, para informar o preço certo, mas achei o cardápio no site deles. Os preços são para pedidos “to go”, para levar. Comendo lá, se não me falha a memória, o meu combo foi um dólar mais caro, além da gorjeta. De qualquer forma, serve para terem uma noção do preço, caso queiram visitar. http://www.shortys.com/DixieTakeOut.pdf

O restaurante abre todos os dias, às 11 da manhã. Como não descobri o horário em que fecham, acredito que seja depois que o último cliente sair rolando!

Pela quantidade e pela qualidade da comida, acho que vale a pena! Nota 8,5!

Site: http://www.shortys.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.